O Que é Planejamento Financeiro? 8 Dicas Para Montar o Seu!

Você sabe o que é plano financeiro? Atualmente, esse planejamento é um dos sistemas mais eficientes para quem está atolado em dívidas mas quer mudar essa situação. Mas, infelizmente, esse é um assunto que não costuma ser abordado pela maioria das pessoas, ainda que ele seja altamente recomendável para qualquer planejamento a longo ou curto prazo. Se você quer saber um pouco mais sobre esse assunto, basta continuar lendo esse post até o final.

Homem vestido de social branca usando uma calculadora e fazendo planejamento financeiro na prancheta

Confira as nossas 8 dicas para facilitar a criação do seu planejamento financeiro!

O planejamento financeiro é essencial para vários fatores da vida e, para muitos profissionais, é citado como a ferramenta de maior importância para guiar e alcançar os objetivos. Sem planejamento, as coisas até podem surtir um efeito momentâneo, mas, diante de algum imprevisto, a probabilidade de decair pode ser muito grande. Contudo, para que você possa ficar preparado para todos os tipos de situações, pode ser interessante você começar a criar esse hábito.

Para saber como se planejar financeiramente, você deve ter em mente que, acima de tudo, é uma questão de hábito. Ou seja, inicialmente, pode parecer ser uma tarefa difícil para você, mas, com o tempo, você irá pegar jeito e notar que todo o planejamento irá fluir naturalmente. Então, para quem está pensando em aderir esse sistema de planejamento, é fundamental que tenha muita disciplina e paciência.

Entretanto, para que esse procedimento seja menos dificultoso, resolvemos elaborar dicas de como montar um planejamento financeiro e, ao final desse artigo, temos certeza que você estará muito mais preparado para começar a traçar os seus planejamento e, consequentemente, alcançar os seus objetivos. Para saber mais sobre esse assunto, é só continuar nesse post!

Planejamento financeiro

Você sabe o que é planejamento financeiro? Ou, ainda melhor, você possui um planejamento financeiro? Se for seguir pelas estatísticas da população brasileira, é muito provável que você não possua um. Algumas pessoas até se organizam um pouco, de uma forma que conseguem ao menos manter suas contas sob controle para pelo menos para não se endividarem.

Contudo, a grande parte das pessoas não faz nem isso e, mesmo para as pessoas que tem esse hábito, é muito provável que montando um planejamento financeiro bem feito, a sua vida vai melhorar muito. É provável que isso aconteça porque muitas pessoas somente tem um planejando com intuito de ter o mínimo de organização para não se apertar.

Mulher pesquisando sobre o que é planejamento financeiro no notebook enquanto toma uma caneca de chá

É muito comum que as pessoas pensem que o planejamento financeiro serve apenas para não deixar ninguém no vermelho, mas é bem pelo contrário.

Mas às vezes mesmo com uma organização financeira básica, é provável aparecer algumas contas altas na fatura do cartão, que só se enxerga poucos dias antes do vencimento dela, e isso quebra o orçamento de qualquer um. Portanto, o objetivo desse artigo é lhe passar 8 dicas para auxiliar a criar o seu planejamento financeiro e ensinar como você pode conciliar o planejamento financeiro com os investimentos para alcançar seus objetivos.

Assuntos financeiros devem estar cada vez mais presente na vida dos brasileiros, entretanto, esse tipo de conteúdo pode aparentar ser difícil no início. Porém, se você quiser saber mais sobre o assunto de investimentos, uma boa dica é você visitar o Portal da Riqueza. Lá existem diversos conteúdos sobre finanças e com explicações práticas de como começar a investir o seu dinheiro.

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro pessoal nada mais é do que a organização das finanças pessoais de um indivíduo, de modo que crie uma espécie de proteção para as suas necessidades. Para criar e manter um bom planejamento financeiro, um dos fatores mais importantes é a disciplina, pois é a disciplina em estar constantemente atualizando e inserindo novas informações no seu planejamento que garantirá uma vida mais tranquila.

De nada adianta criar um planejamento e não alimentá-lo, pois dessa forma isso vai lhe ajudar por apenas algumas semanas ou meses. Todo esse processo deve ser feito com o pensamento de longo prazo, e o primeiro passo a ser feito é um diagnóstico da sua situação atual. Se você possui dívidas, é importante saber exatamente o valor dessas dívidas, porque em muitos casos elas são maiores do que nós pensamos.

Uma mesa contendo um teclado, café, celular, caneta, cadernos e óculos

O planejamento financeiro é essencial para aquelas pessoas que querem reprogramar a vida financeira.

Quanto antes você começar esse processo de se organizar financeiramente, melhor, pois mais fácil e mais rapidamente você alcançará os seus objetivos, e isso acontece por causa dos juros compostos. Além de trabalhar em um planejamento financeiro eficiente, também é importante aliar o planejamento financeiro com os investimentos, pois isso pode lhe gerar ainda mais benefícios.

Pois é, os juros compostos trabalhando a seu favor fazem o seu dinheiro crescer igual uma bola de neve e é por isso que é importante começar o quanto antes. Um bom planejamento financeiro é relevante para nos mostrar os caminhos (tanto de economia, disciplina e esforço pessoal) que precisaremos traçar para alcançar o sucesso, mas tenha sempre em mente que se é assunto do qual se necessita estar constantemente atualizado.

8 dicas para montar seu Planejamento Financeiro

Agora que já esclarecemos o que é um planejamento financeiro, vamos passar para as dicas práticas que vão lhe ajudar a criar o seu, porém, uma coisa é necessária antes de prosseguirmos. Tudo na nossa vida é questão de hábito, e com isso queremos dizer que inicialmente você até pode ter certa dificuldade para aplicar essas dicas, mas tudo se torna mais natural conforme você cria esse costume.

DICA 1: Não crie dívidas caras

Um dos primeiros passos para se organizar é fazer um diagnóstico da sua situação atual, pois somente assim você ficará a par da dimensão das suas dívidas e, então, poderá trabalhar para quitá-las. Isso é importante principalmente para verificar se você possui dívidas e, quando se fala de dívidas, não se refere unicamente as parcelas tranquilas que cabem no seu orçamento, como um financiamento imobiliário ou algo do tipo.

Uma pilha de moeda, uma calculadora e um papel embaixo

O primeiro passo para criar um bom planejamento financeiro é evitar gastar mais do que aquilo que você recebe.

Referimo-nos àquelas que estão lhe sufocando e que não permitem que você tenha uma folga no seu orçamento, e para quitar essas dívidas é preciso criar um plano de ação. Por isso, encontre formas de gerar renda extra enquanto pensa em maneiras que você poderia cortar ou ao menos reduzir alguns gastos. E após colocar as suas finanças sob controle, por favor, não crie outras dívidas.

Algumas pessoas já dão um jeito de comprar outra coisa que vá preencher o exato valor que passou a sobrar na fatura, mas não seja uma dessas pessoas. Pense da seguinte forma: enquanto você estiver pagando dívidas, você estará do lado errado dos juros compostos. Eles estarão trabalhando contra você, ao invés de a favor de você. Coloque-se em uma posição em que o dinheiro trabalha a seu favor, e não o contrário.

DICA 2: Mantenha seu cartão de crédito sob controle

Qual a forma mais fácil de se endividar? Exatamente! Com o cartão de crédito. Pois é fácil de usar, não é mesmo? E a gente acaba nem vendo. Portanto, ainda em conjunto com a dica anterior, mantenha suas faturas do cartão de crédito sob controle, pois os juros do cartão de crédito são os maiores do mercado, chegando a passar dos 300% ao ano.

Uma carteira com vários cartões dentro

O cartão de crédito é uma tentação para muitas pessoas, mas para resolver esse problema basta você evitar de levar ele para todos os lugares.

Só para você ter uma ideia, uma dívida de apenas 2000 reais com os juros do cartão de crédito, em um ano, se transforma em 8000 reais. Em dois anos vira 32 mil reais. Em 3 anos 128 mil. Em 4 anos 512 mil. E em 5 anos essa dívida que era de apenas 2 mil, passa de 2 milhões de reais! Isso é para te assustar mesmo, portanto, é preciso ter muito cuidado ao sair usando o cartão de crédito.

Uma boa maneira de se controlar é não levar o cartão de crédito quando for fazer algum tipo de compra, como, por exemplo, supermercado e afins. Prefira levar dinheiro, pois, dessa forma, você está se colocando um limite para gastar. Além disso, outras maneiras que podem te ajudar a controlar as faturas são os aplicativos para controle de despesas. Existem diversos aplicativos, como o Guiabolso, que auxilia muito para manter as despesas sob controle.

DICA 3: Crie um orçamento doméstico

Um orçamento doméstico nada mais é do que um valor que você delimita para cada tipo de gasto. Além de controlar a sua fatura do cartão, você deve controlar também as outras despesas que você possui, mas primeiro você precisa planilhar as suas despesas, dividindo elas em essenciais e não essenciais. É uma tarefa um pouco demorada, mas que certamente irá lhe render bons frutos.

Uma pilha de moeda ao lado de uma casa de madeira em miniatura

Sempre há aquelas despesas que são necessárias e outras que não são tanto assim, e saber diferenciar é um ótimo caminho para fazer um bom planejamento financeiro.

Nas despesas essenciais entram gastos como: condomínio, aluguel/financiamento, transporte, alimentação, luz, água e internet. As despesas não essenciais podem ser coisas como: academia, diarista, assinaturas mensais, roupas novas. Você deve planilhar esses valores para o ano inteiro. É claro que algumas coisas são custos variáveis e não há como saber exatamente qual vai ser o valor das próximas faturas, mas coloque uma estimativa com bases nos últimos valores.

Depois de terminar isso, você terá uma visão mais ampla de quanto você gasta por mês e com o que gasta, além de ter uma estimativa de quanto gastará nos próximos meses. Com isso em mãos, é mais fácil de criar um orçamento mensal para cada tipo de gasto. Dessa forma você estabelece esse controle e cuida para não ultrapassá-lo todos os meses.

DICA 4: Monte a sua reserva de emergência

Uma reserva de emergência é um montante que você precisa ter separado para cobrir imprevistos, como, por exemplo, ser demitido, bater o carro ou até mesmo alguma despesa médica que o seu plano de saúde não cobre. O ideal é que você tenha um valor entre 6 e 12 meses dos seus gastos mensais ou mais, pois isso irá lhe trazer um sossego cada vez maior.

Várias notas de 10 euros espalhadas pelo chão

Sempre que sobrar um dinheiro no final do mês, você também pode adicionar no seu fundo de emergência.

Por exemplo, se você gasta em média 2000 reais por mês, a sua reserva deve ter entre 12 e 24 mil reais. Esse dinheiro você deve colocar em uma aplicação segura e com alta liquidez. Alta liquidez significa que você pode resgatar o dinheiro a qualquer momento, afinal, não adianta ter um dinheiro separado para emergências se você não pode usar, não é mesmo?

Se você não compreende muito sobre investimentos, considere pesquisar sobre o Tesouro Selic, pois a grande maioria o considera o melhor investimento para deixar a sua reserva de emergência. O Tesouro Selic é considerado o investimento mais seguro do país e possui alta liquidez, além de ter rentabilidade superior à da poupança, características essenciais para uma reserva de emergência.

DICA 5: Estabeleça metas financeiras

Se você trabalha em uma empresa deve ver essa palavra em todos os lugares: meta. Todas as empresas possuem metas, entretanto, a maioria das pessoas não possui metas pessoais, e é muito importante ter suas próprias metas. Afinal, como já dizia o gato da Alice no País das Maravilhas: “Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”.

Ao criar suas metas, certifique-se de que elas possuem esses 4 atributos:

  • Específicas;
  • Mensuráveis;
  • Atingíveis;
  • Temporais.

Se você apenas colocar uma meta como “eu quero comprar um carro”, essa meta é muito ampla. A forma mais correta seria, por exemplo: “eu quero comprar um carro no valor de 40 mil reais em 3 anos”. Dessa forma, a meta se torna muito mais palpável e fácil de se atingir, pois ela se encaixa em todos os 4 atributos que foi falado logo acima.

Uma pessoa segurando um cofrinho de porquinho na mão e uma casa em miniatura na outra

É fundamental que você estabeleça metas que sejam palpáveis, pois elas serão mais fáceis de administrar e, assim, alcançá-las será uma consequência.

Ela é específica, pois você determinou um valor. Ela é mensurável, pois você consegue medir quantos reais faltam para alcançar o seu objetivo. Ela é atingível, pois não é nada impossível juntar 40 mil reais em 3 anos. E ela é temporal, porque você estabeleceu um prazo. Essa é uma dica bem simples mas que pode fazer uma grande diferença na hora de você criar um planejamento.

DICA 6: Entenda seu perfil financeiro

Quando falamos em entender em qual perfil você se encaixa, queremos dizer que você compreenda quais são as suas competências ou finalidades. Cada pessoa possui uma forma própria de consumir e organizar o seu dinheiro. Por exemplo, há pessoas que tem facilidade para poupar, outros que não conseguem se controlar tanto assim, e há aqueles que tem afinidade com investimentos, e é importante saber em qual grupo você se encaixa.

Homem vestido de social com algumas notas de dólar na mão

É perfeitamente normal ter alguns defeitos na área financeira, mas saber quais são suas falhas as torna mais fáceis de serem resolvidas.

Isso pode ser interessante porque, de certa forma, você entende quais são as suas “fraquezas financeiras” e pode trabalhar nesse traço de personalidade. Para poder montar um plano financeiro estruturado, é fundamental entender a forma como você lida com o dinheiro e como funciona suas despesas e, assim, melhorar o andamento da sua vida financeira.

DICA 7: Anote suas despesas

A realidade é que nem sempre a gente se lembra de todas as contas ou gastos que realizamos, e justamente por isso pode ser interessante anotar todas as despesas, pois isso irá trazer vários benefícios. Um deles é que, ao anotar, você consegue analisar mensalmente todos os seus gastos e consegue perceber com o que está gastando demais, fazendo com que você se controle nos meses seguintes.

DICA 8: Compare preços

Se você quer fazer um planejamento financeiro, muito provavelmente uma das intenções é que você consiga economizar. Porém, para que você possa potencializar esse resultado, é fundamental que você sempre procure comparar preços antes de comprar. Ter esse hábito irá fazer com que você não desperdice seu dinheiro pagando mais caro por um item, além de evitar aquisições por impulso.

Mas para que você possa tirar ainda mais proveito, outra dica essencial é sempre procurar por cupons de desconto, em especial quando você for gastar com alimentos. Com a ajuda da internet, felizmente se tornou muito mais simples conseguir um cupom, portanto, não deixe de utilizar essa ferramenta como seu aliado na hora de poupar dinheiro.

Várias moedas de um real, 25, 10 e cinco centavos

Vivemos em um mundo onde há uma constante disputa de preços e, portanto, é fundamental que você os compare.

Agora aproveite e crie as suas próprias metas! Você pode estabelecer metas como essa, de comprar um carro ou uma casa, assim como também pode estabelecer metas para a sua aposentadoria ou para a sua independência financeira. Depois de ter suas metas estabelecidas, procure por investimentos que estejam de acordo com elas.

Se você possui uma meta como a do exemplo acima de comprar um carro em 3 anos, procure por produtos financeiros com um prazo similar. Para metas mais longas, como aposentadoria ou independência financeira, existe, por exemplo, os títulos atrelados à inflação com prazos longos, como o Tesouro IPCA+2035 e o Tesouro IPCA+2045.

Conclusões

O planejamento financeiro é uma ferramenta muito poderosa e extremamente necessária e que com certeza vai lhe ajudar a manter um excelente controle das suas despesas. Assim, você garante que não vão aparecer surpresas indesejadas na hora de pagar as suas faturas. Muitos acham que é difícil sair do vermelho, mas a realidade é que um planejamento bem feito pode facilitar as suas chances.

Mas, além disso, é bom pensar que um planejamento financeiro bem estruturado, junto com a criação de metas, é um ótimo guia para lhe mostrar o caminho que você deve seguir para alcançar seus objetivos. Aliado a isso, se você investir o seu dinheiro da forma correta, com certeza alcançará essas metas em um período de tempo muito menor.

Add Comment